segunda-feira, 27 de julho de 2015

Grande Recife: Linhas do BRT Norte/Sul passam a operar de forma semi-expressas

26/07/2015 - GRCT

A partir deste sábado (25), os usuários que utilizam as linhas 1915 – TI PE-15 (Dantas Barreto) e 1979 – TI Pelópidas (Dantas Barreto), do Corredor Via Livre Norte/Sul, chegarão mais rápido a seus destinos. É que essas duas linhas passarão a operar de forma semi-expressa, diminuindo o tempo de viagem dos passageiros. 

A operação funcionará da seguinte maneira: As linhas seguirão expressas a partir do TI PE-15 até a Estação Tacaruna, ou seja, deixarão de atender as estações em funcionamento Bultrins, Quartel, Sítio Histórico, Mathias de Albuquerque e Kennedy. A mudança acontecerá tanto no sentido subúrbio/cidade quanto no cidade/subúrbio.

É importante lembrar que as demais estações do corredor continuarão sendo atendidas normalmente por essas linhas. 

Para mais informações os usuários dispõem da Central de Atendimento ao Cliente no número 0800.081.0158. 

Informações: GRCT

domingo, 26 de julho de 2015

Governo do ES não tem mais previsão para implantação do BRT

26/07/2015 - G1 ES

Leia: Corredor exclusivo de ônibus da Grande Vitória terá 43 estações - G1 ES

A conclusão das obras do BRT, corredor exclusivo para ônibus na Grande Vitória, não tem mais previsão para este mandato, segundo o secretário de Estado dos Transportes e Obras Públicas, Paulo Ruy Carnelli.

O BRT foi anunciado como grande promessa de melhorar a mobilidade urbana na região Metropolitana de Vitória pelo governo passado de Paulo Hartung e pelo de Renato Casagrande. O secretário já havia prometido que em janeiro que a obra seria prioridade, mas agora o cenário mudou.

A razão é a tão dita crise econômica enfrentada pelo país e pelo estado. Carnelli explicou que o projeto dependeria de recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e de uma contrapartida do estado, que neste momento não tem condições.

"O anúncio do projeto pressupunha um investimento de mais de R$ 700 milhões, dos quais R$ 200 milhões seriam a contrapartida do governo. Hoje esses R$ 200 milhões não existem", disse o secretário em referência a anúncio do projeto feito em outubro de 2013.

Em abril, o governo não definiu quando o BRT estaria efetivamente funcionando, mas garantiu que priorizaria a adequação de vias de acesso com a infraestrutura necessária à implantação da primeira fase do projeto.

Na sexta-feira (24), o secretário afirmou que estão garantidas algumas dessas obras, mas descartou os corredores exclusivos. "Daquele conjunto do BRT estamos colocando coisas que vão melhorar a mobilidade e que vamos fazer nesse período de quatro anos", disse Carnelli.

Uma dessas obras será em Vitória, com intervenções viárias no Portal do Príncipe para eliminar retenção de tráfego na região da Ilha do Príncipe e da Vila Rubim. Outra obra em Vitória é a construção de um túnel sob o morro de Monte Belo para que a Avenida César Hilal tenha continuidade até a Avenida Vitória, após a Fábrica de Ideias.

A terceira obra é em Carapina, na Serra, onde vai ser construída uma passagem subterrânea de veículos, entre o viaduto da Vale e a descida do Aeroporto de Vitória, para acesso à Avenida João Palácio, o que elimina o cruzamento com o semáforo.

As obras priorizadas estão estimadas em R$ 319,5 milhões, que utilizarão recursos do BNDES e do Estado. O orçamento prevê também intervenções na Terceira Ponte.

Outra obra também prevista no BRT e que continua em andamento é o da ampliação da Avenida Leitão da Silva, em Vitória, com custo de R$ 125 milhões.

O que está previsto

Obra

Etapas

A empresa que vai desenvolver o projeto das obras do Portal do Príncipe será contratada até outubro de 2015.

Projeto

Deve estar pronto em maio de 2016.

Início e conclusão

Início previsto para novembro de 2016 e conclusão para junho de 2018.

Vias

Serão construídos 3,5 quilômetros de vias com o novo projeto.

Histórico

Portal

A proposta de intervenção do Portal do Príncipe existe desde 2008, ano em que a obra foi prometida para 2012. A ordem de serviço da primeira etapa da obra foi liberada em julho do ano passado. Chegou a ser suspensa pela Justiça mas depois foi liberada.

O que já mudou na região

Obra

A obra iniciada ano passado previa um viaduto saindo do Porto de Vitória, mas que acabou sendo cancelado.

Prédio

Três prédios foram desapropriados e demolidos no ano passado para dar lugar às obras do projeto hoje cancelado.

Corte

Árvores ao lado do viaduto próximo à Rodoviária foram derrubadas no ano passado para receberem as obras do Portal do Príncipe.

sexta-feira, 24 de julho de 2015

Prefeitura reforça monitoramento no Corredor Expresso da Avenida Bezerra de Menezes

24/07/2015 - Fortalbus

O Corredor Expresso Fortaleza será monitorado por meio de um Centro de Controle Operacional (CCO) instalado no terminal Antônio Bezerra. O painel é composto por seis telas que acompanham 88 câmeras instaladas nas onze estações, que transmitem, em tempo real, a operação de transporte realizada no Corredor Expresso Fortaleza. Os painéis serão monitorados pelos funcionários da Empresa de Transporte Urbano (Etufor) a fim de verificar a programação da linha 200 e comprovar a eficiência do serviço.



A partir do monitoramento, a Etufor pode verificar a velocidade média comercial da linha, o embarque e desembarque dos passageiros, cumprimento dos horários, o funcionamento do sistema de automação nas portas, entre outras questões relevantes. Esse serviço será disponibilizado para a Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (CIOPS), favorecendo a segurança dos usuários nas estações.

Desde 2008, a Etufor monitora os veículos das frotas de ônibus e vans de Fortaleza através do GPS (Global Positioning System - Sistema de Posicionamento Global). O sistema é uma importante ferramenta de radionavegação, baseada em satélites, que auxilia a administração municipal no gerenciamento do transporte público, na medida em que fornece informações diárias sobre a performance dos carros nas ruas da capital. Os dados contidos nos relatórios fornecidos pelo sistema também contribuem para melhorar o planejamento do transporte público, otimizando resultados e aumentando as chances de iniciativas bem sucedidas.



A Prefeitura de Fortaleza também inicia, nesta semana, uma força tarefa de caráter preventivo para evitar ocupações irregulares nas estações do Corredor Expresso e áreas próximas. A ação é articulada pela Coordenadoria das Regionais e composta por agentes da Etufor, das Secretarias Regionais I e III, além da Guarda Municipal e da Agência de Fiscalização de Fortaleza (Agefis). Inicialmente, os fiscais vão monitorar as onze estações por meio de equipes móveis e fixas, especialmente durante os horários de maior movimentação de usuários do transporte público, além de manter permanente contato com a Guarda Municipal.

A ideia é avaliar, semanalmente, a eficácia da operação para aprimorar os trabalhos. De acordo com o coordenador executivo de Articulação das Secretarias Regionais, Pedro Rocha, "a intenção é prestar apoio ao cidadão, já que essa é uma experiência histórica para Fortaleza que nunca teve um modelo de transporte eficiente e diferenciado como o Corredor Expresso".



Corredor Expresso

Com a nova operação, a linha 200 - Antônio Bezerra/Centro passa a utilizar a Faixa 2 do corredor ao lado do canteiro central. Assim, os usuários da linha só poderão utilizar as estações pra embarcar e desembarcar pelas portas do lado esquerdo dos ônibus articulados. Em breve, passa a operar também nas estações a linha 222 - Antônio Bezerra/Papicu/Antônio Sales.

O embarque no coletivo continua sendo realizado pela porta traseira e o desembarque pelas duas portas dianteiras. O embarque de idosos, gestantes, pessoas com deficiência ou dificuldade de locomoção deve ser feito pela porta dianteira mediante pagamento junto ao cobrador. Os usuários que contam com cartão de gratuidade devem utilizar a porta de embarque.



O corredor exclusivo liga o novo terminal do Antônio Bezerra ao centro. A entrada e saída das estações são realizadas pelas rampas que ficam próximas aos abrigos. A sinalização orienta por onde os passageiros devem seguir, inclusive com piso podotátil. As estações são dotadas de sistema de automação que viabiliza as portas automáticas de maneira sincronizada com a chegada e saída dos veículos.

As fiscalizações de trânsito permanecem de forma contínua, por meio de câmeras, em diversos pontos ao longo da Av. Bezerra de Menezes, e de agentes da Autarquia Municipal de Trânsito, Serviços Públicos e de Cidadania (AMC), inclusive com a fiscalização de estacionamentos irregulares. No caso do BRT, que é segregado fisicamente pelo gelo baiano, não há exceções de uso para veículos, como é o caso das faixas exclusivas, sendo expressamente para o ônibus.

Dilma Rousseff deve anunciar VLT, BRT e obras em encostas de Salvador em agosto

24/07/2015 - Salvador Notícias

Na última quarta-feira (22), o governador Rui Costa (PT) esteve em Brasília com o objetivo de alinhar e arrematar inúmeros projetos de áreas de mobilidade urbana e de contenção de encostas para capital baiana. Rui, que está entre os governadores mais bem avaliados pela presidente Dilma Rousseff, segundo a coluna Tempo Presente, do jornal A Tarde, deixou agendado o dia 4 de agosto para o anúncio de importantes obras baianas pela presidente, no total de R$ 8 milhões. A data ainda deve ser confirmada por Dilma, mas a petista deve vir a Salvador já neste mês de agosto.

Entre as obras que devem ser anunciadas, estão a do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) — substituto do trem do subúrbio —, ligando os bairros do Comércio a Paripe, custando R$ 1,5 bilhão; O BRT, projeto de ACM Neto, que custa R$ 300 milhões federais e R$ 500 milhões da prefeitura de Salvador financiados pela Caixa Econômica Federal; além de várias intervenções nas encostas de Salvador, ao custo de R$ 200 milhões.

Em relação as obras de contenção de encostas da cidade, Rui Costa disse que aceita até empréstimo. "É pelo caráter emergencial. A Bahia não tem dinheiro em caixa, mas nossos indicadores de crédito são positivos. É como um cidadão que não tem saldo bancário, mas está com o nome limpo", afirmou.

Andréia Barros

Depois de 9 dias parada, Justiça libera obra do BRT em Feira

24/07/2015 - A Tarde - Salvador

Leia: Governo autoriza construção do BRT em Feira de Santana - A Tarde - Salvador

A Justiça, que tinha proibido as obras do sistema BRT em Feira de Santana (há 109 km de Salvador), voltou atrás e autorizou a continuidade do trabalho. A decisão da desembargadora Regina Helena Ramos, publicada no Diário Oficial desta sexta, 24, revoga a liminar concedida pelo juiz Roque Araújo.

O serviço, que foi interrompido nesta quarta, 15, será retomado nesta sexta, 24. De acordo com a prefeitura da cidade, o trabalho vai recomeçar no bairro Sítio Novo, onde é construída a primeira Estação de Transbordo.

Quando estiver pronto, a previsão do governo municipal é que cerca de 60 mil usuários utilizem o sistema por dia.

Suspensão

O juiz Roque Araújo tinha suspendido as obras alegando que o projeto não estava adequado as disposições legais, principalmente em relação as questões ambientais. O magistrado também ressaltou a ausência de um plano de transporte urbano integrado com o BRT.

A ação foi impetrada pela 1ª Defensoria Pública de Feira de Santana.

O BRT é uma obra estimada em R$ 100 milhões, com recursos da Caixa Econômica Federal (CEF), por meio do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC). O corredor exclusivo de ônibus terá a extensão de 8 km, passando principalmente pelas avenidas João Durval carneiro e Getúlio Vargas.

Impasse envolvendo o BRT pode estar perto do fim; entenda

24/07/2015 - Tribuna da Bahia

Quando a presidente Dilma Rousseff anunciou o aporte financeiro em 2013 de R$ 600 milhões para o BRT de Salvador, projeto considerado o carro-chefe da gestão do prefeito ACM Neto (DEM), a petista classificou o democrata como grande parceiro dos governos estadual e federal. De lá para cá, os recursos que deveriam sair do Orçamento da União e do financiamento por meio da Caixa Econômica Federal se tornaram lenda. O prefeito ACM Neto, virtual adversário da ala petista no ano que vem na disputa pela prefeitura de Salvador, tem peregrinado por Brasília em busca da liberação dos recursos. Com a promessa da presidente Dilma de anunciar os investimentos dessa vez, a novela poderá ter um capítulo findado.

O gestor democrata anunciou seu projeto em outubro de 2013, dez meses após assumir a gestão, e a partir de então tem assistido às promessas do governo federal para liberar os recursos, como a feita pelo ministro das Cidades, Gilberto Kassab no mês passado. Como foi mostrado por reportagem da Tribuna em junho, um dos entraves colocados pelo governo federal foi a ausência de um plano de mobilidade por parte da prefeitura de Salvador. A falta do documento impede a liberação dos recursos da ordem de R$ 514,8 milhões destinados à obra do BRT. Fábio Mota, secretário de Mobilidade Urbana da capital baiana, estranhou a análise por parte do Ministério das Cidades.

"Quando o pedido foi feito ao ministério, não tinha exigência de ter o Plano de Mobilidade Urbana. Essa exigência é nova. O nosso pedido é anterior a todo esse tipo de exigência, mas, mesmo assim, entendo que essa exigência também está sanada porque o nosso Plano de Mobilidade está sendo realizado, está em processo de licitação e fica pronto em dezembro", afirmou o titular da Semob.

Já neste mês de julho, quando surgiu a informação de que o governo iria lançar o edital de construção do VLT orçado em R$ 1,1 bilhão, a prefeitura assistiu ao avanço do projeto do governo estadual sem nada entender. Agora, com a sinalização positiva da presidente Dilma, o seu projeto poderá entrar em operação, no entanto, sem a previsão de entregar antes das eleições de 2016. Sua meta era iniciar as obras do corredor em 2014 e concluir em dois anos e meio. A proposta da via exclusiva é sair da Lapa, passando pelas avenidas Vasco da Gama, Juracy Magalhães e Antônio Carlos Magalhães e terminar na ligação Iguatemi-Paralela.

O retorno de Dilma para falar de investimentos ao BRT é visto pelo vereador Cláudio Tinoco (DEM), 1º vice-líder do Democratas na Câmara de Salvador, como algo "requentado" pela presidente que já havia prometido os recursos há dois anos. "Uma visita atrasada, sobretudo naquilo que compete ao BRT, porque já tem mais de dois anos que ela veio a Salvador e disse que daria todo o apoio ao projeto e na verdade tem menos de um terço do investimento que depende dela, que são os recursos federais. Um ano depois dessa promessa dela foi que a Caixa Econômica Federal foi autorizada a requerer os documentos da prefeitura para iniciar análise do projeto e que criou a perspectiva de firmação de um contrato", criticou o legislador, que classifica a visita da presidente uma ação em busca do resgate da popularidade. "Ela já deveria ter tomado essa atitude há mais tempo. No meu entendimento, é mais uma tentativa de melhorar a sua imagem e a do seu governo que está desgastada, sobretudo na região Nordeste, e mais especificamente na Bahia onde saiu vencedora da última eleição", analisou Tinoco.

quinta-feira, 23 de julho de 2015

Ministro das Cidades libera, em Florianópolis, R$ 36,15 mi para corredores exclusivos de ônibus

23/07/2015 - Notícias do Dia - Florianópolis

A vinda do ministro das Cidades Gilberto Kassab (PSD) a Florianópolis nesta quinta-feira (23) trará melhores notícias do que esperava o prefeito Cesar Souza Júnior (PSD). A liberação de R$ 36,15 milhões para implantação de 19,7 quilômetros de corredores exclusivos de ônibus, entre outras obras, representará o primeiro empenho do governo federal para a construção do anel viário, o que culminará ainda com a duplicação da rua Deputado Antônio Edu Vieira. O valor é bem superior aos R$ 11 milhões imaginados pelo prefeito como aporte inicial das obras, conforme disse ao ND na terça-feira.

Às 9h, Kassab e Cesar estarão na avenida Beira-Mar Norte, em frente ao CIC (Centro Integrado de Cultura) para acompanhar parte dos trabalhos do anel viário e oficializar o repasse. O valor inicial está dentro do repasse de R$ 170 milhões do governo federal para as obras que complementarão o anel viário central, afirmou Cesar.

Além dos corredores de ônibus e do anel viário que circundará todo o maciço do Morro da Cruz, os valores disponibilizados ao município servirão para obras de recape, pontos de ônibus, complementação de calçadas e ciclovias; e qualificação de acessos aos terminais Ticen e Titri, com melhoria viária para acesso dos ônibus.  A construção do anel viário, que contará com corredor exclusivo para ônibus, começou em fevereiro deste ano.

Na primeira etapa serão implantadas duas faixas para ônibus na avenida Beira-Mar Norte. A expectativa é de que os espaços exclusivos estejam prontos até o final do ano. Nos dois sentidos da Beira-Mar, a faixa exclusiva será quase na totalidade na pista do lado direito. Além do Centro, o anel viário passará pelos bairros Pantanal, Saco dos Limões, José Mendes e Prainha. As obras têm prazo de três anos para estarem prontas.

Duplicação da Edu Vieira será complemento ao anel viário

Para a conclusão da obra será necessária a duplicação da rua Deputado Antônio Edu Vieira, no Pantanal. O prefeito Cesar Souza Júnior declarou ao ND que pretende começar a obra ainda este ano, depois da liberação dos recursos por parte da Caixa Econômica Federal. Vamos tocar a obra na área da UFSC, que depois de muitos anos está liberada. A Eletrosul também liberou, e temos condições de tocar a obra até o Corinthians do Pantanal, disse.

As desapropriações, observou o prefeito, terão que ser feitas com cuidado, procurando estabelecer um valor justo e evitar judicialização. Na Edu Vieira começaremos a obra e quando chegar na parte de desapropriações, daremos início às negociações. A primeira parte é a que terá dois elevados exclusivos para ônibus, um no Dona Benta e outro na Eletrosul, o que já vai desafogar bastante o trânsito ali, informou.

terça-feira, 21 de julho de 2015

Mercado imobiliário na área se valorizou

19/07/2015 - O Dia, Observatório da Mobilidade

"Minha Praia Barra da Tijuca, apartamento com dois quartos, andar alto, vaga na garagem, 50 metros quadrados. O Condomínio Minha Praia fica na Região Olímpica. Terá em frente uma estação do BRT Transolímpica."

Uma enxurrada de anúncios como esse domina os sites de corretoras de imóveis da Zona Oeste. De julho de 2012, quando as obras da Transolímpica começaram, até julho deste ano, os corretores da região foram os primeiros a sentir os impactos do corredor.

Segundo o Sindicato da Habitação (Secovi-Rio), na maioria dos bairros por onde o BRT vai passar, o valor médio do metro quadrado para venda subiu muito além da variação geral na cidade, no mesmo período, que foi de 23,12% (passou de R$ 7.603 para R$9.361, levando em conta imóveis de 1 a 4 QUARTOS, do tipo "apartamento-padrão" usados).

Em Sulacap, onde haverá um terminal do BRT, a valorização do metro quadrado chegou a 51,98% (pulando de R$ 2.897, em 2012, para R$ 4.403, em 2015). Em Curicica, , o preço médio subiu 40,97 % (de R$ 4.210 para R$ 5.935). Na Barra da Tijuca, houve variação de 30,27 % (de R$ 7.967 para R$ 10.379).

"Quando o corredor estiver pronto, a estimativa é que os imóveis próximos a locais com estações do BRT valorizem ainda mais, de 15% a 20%", aponta o vicepresidente do Secovi-Rio, Leonardo Schneider. Segundo ele, a variação acima da média da cidade indica o efeito do novo corredor sobre o mercado imobiliário.

O autor do anúncio do início do texto é o consultor imobiliário Marcelo Goering. Ele aproveitou o momento em que se iniciavam as especulações sobre o Transolímpica, antes do início das obras, para arrebentar nas vendas. Chegou a vender nove apartamentos só para uma pessoa interessada em COMPRAR barato para revender mais caro alguns anos depois. Devido à crise no mercado, no entanto, muitos investidores estão se dando mal agora.

"Tem muita oferta para pouco cliente. Muitos estão desistindo de vender e colocando para ALUGAR", conta.

Transolímpica deve desafogar estações do BRT Transoeste

19/07/2015 - O Dia, Observátorio da Mobilidade

Primeira via expressa em construção no Rio depois da Linha Amarela - inaugurada há 18 anos -, a Transolímpica não vai só beneficiar os bairros cortados por ela. É também esperança para desafogar o BRT Transoeste, que recebe 184 mil passageiros por dia. Com uma faixa exclusiva para ônibus articulados e duas para carros entre o Recreio e Deodoro, em cada sentido, o corredor atingiu a marca de 65% das obras executadas esta semana.

Para a Secretaria Municipal de Transportes (SMTR), os moradores de bairros entre Bangu e Campo Grande, que trabalham no Recreio e na Barra, deverão utilizar o novo BRT, tirando a sobrecarga existente hoje na Estação Mato Alto, do Transoeste. Para isso, eles poderão fazer conexão entre as linhas de ônibus comuns e os serviços da Transolímpica nos futuros terminais de Sulacap ou de Deodoro.

O presidente do CONSÓRCIO operador do BRT, Jorge Dias, também acredita que o ajuste de demandas será uma consequência positiva da Transolímpica. Ainda não há uma estimativa precisa de quanto poderá ser a redução do fluxo no Mato Alto, que recebe 14 mil passageiros por dia.

Inauguração está prevista para maio

Com início das operações previsto para maio do ano que vem, o Transolímpica vai interligar nove bairros: Barra da Tijuca, Recreio dos Bandeirantes, Camorim, Curicica, Taquara, Jardim Sulacap, Magalhães Bastos, Vila Militar e Deodoro, sendo uma alternativa à Linha Amarela para quem vive na Baixada Fluminense e nas regiões próximas à Avenida Brasil. O novo BRT fará conexão com o Transcarioca, em Curicica, com o Transoeste, no Recreio, e com a SuperVia, em Deodoro. Segundo a SMTR, passageiros dos ramais Santa Cruz e Japeri, que fazem conexão com o BRT em Madureira, poderão passar a fazer essa integração em Magalhães Bastos ou Deodoro e seguir para a Baixada de Jacarepaguá via Transolímpica. Segundo a prefeitura, o Terminal Recreio será concluído daqui a cinco meses e servirá de integração para toda a malha de BRTs.

Passageiros terão ligação expressa Recreio-Madureira

Quando o Lote Zero do Transoeste (trecho entre a Alvorada e o Jardim Oceânico) e o Transolímpica estiverem prontos, serão criados dez serviços novos de transporte, segundo a SMTR. Haverá ligações diretas, sem baldeação, por exemplo, entre Madureira e o Recreio, já que os ônibus poderão sair de um corredor de alta capacidade e entrar em outro.

Em 2016, será possível fazer VIAGENS expressas nas seguintes rotas: Recreio - Jardim Oceânico, Tanque - Jardim Oceânico, Centro Olímpico - Jardim Oceânico, Alvorada - Sulacap, Recreio - Deodoro e Madureira - Recreio. Serão também criadas as linhas paradoras Recreio - Jardim Oceânico, Alvorada - Jardim Oceânico, Centro Olímpico - Jardim Oceânico e Recreio - Sulacap. Ao todo, 214 veículos articulados com 180 lugares serão incorporados ao sistema.

Os especialistas em Engenharia de Transportes Alexandre Rojas, da Uerj, e Eva Vider, da UFRJ, concordam que a via expressa vai melhorar o desenvolvimento urbano, além de permitir a ligação da rede de transporte público, mas desconfiam se a obra desafogará o Transoeste. "O Transoeste atende mais a região de Santa Cruz e Campo Grande. O Transolímpica fica em outra direção", diz Rojas.

"Esse corredor tem um caráter estratégico muito importante, porque vai ser o primeiro a integrar com os dois já existentes (Transoeste e Transcarioca), aumentando as opções dos passageiros seja nos transbordos ou até mesmo para se criar serviços que saiam de um corredor e entrem em outro", afirma.

O BRT Transolímpica terá mais dois terminais (um nas Avenidas Salvador Allende e Abelardo Bueno e outro na Avenida das Américas - Recreio) e 18 estações. A prefeitura estima que o tempo de VIAGEM entre Deodoro e Recreio será reduzido de 1h30 para 40 minutos, beneficiando 70 mil passageiros por dia. Serão 25 km de extensão. Como o projeto é feito em Parceria PúblicoPrivada, haverá pedágio para carros, que deve ter como parâmetro o da Linha Amarela.

segunda-feira, 20 de julho de 2015

Grande Recife: Corredor Via Livre Norte/Sul já conta com os linhas com ônibus BRT's

19/07/2015 - GRCT

Os usuários do Corredor Via Livre Norte/Sul já contam com cinco opções de linhas para se deslocar ao longo do corredor. É que desde a última quinta-feira (16), a 1900 – TI PE-15 (PCR) está operando exclusivamente com veículos BRT. 

A linha, que circula com 10 veículos realizando 123 viagens por dia, sai do TI PE-15 em direção a Prefeitura do Recife, atendendo todas as estações do percurso. Ela opera de domingo a domingo, das 4h às 23h35 e possui um intervalo médio de cinco minutos entre um BRT e outro. 

Os usuários das linhas do BRT Via Livre 1915 – PE-15 (Dantas Barreto), 1900 – TI PE-15 (PCR), 1979 – TI Pelópidas (Dantas Barreto), 1976 – TI Pelópidas (PCR) e 1946 – TI Igarassu (PCR) contam com 22 estações de embarque e desembarque no Corredor Norte/Sul, são elas: José de Alencar, Hospital Central, São Salvador do Mundo, Cidade Tabajara, Jupirá, Aloísio Magalhães, Bultrins, Quartel, Sítio Histórico, Mathias de Albuquerque, Kennedy, Tacaruna, Santa Casa da Misericórdia, Araripina, IEP, Treze de Maio, Riachuelo, Praça da República, Nossa Senhora do Carmo, Maurício de Nassau, Istmo do Recife e Forte do Brum. 

Para mais informações, o usuário dispõem da Central de Atendimento ao Cliente, no 0800.081.0158. 

Informações: GRCT

Estações do BRT começam a operar

19/07/2015 O Povo - Fortaleza

As onze estações do BRT da avenida Bezerra de Menezes começaram a funcionar na manhã deste sábado. Com a mudança, os usuários da linha 200 - Antônio Bezerra/Centro devem embarcar e desembarcar em nível, pelo lado esquerdo, em ônibus articulados. A expectativa da Prefeitura é de que o corredor expresso reduza o tempo de viagem em cerca de 60%.

Os equipamentos deveriam ter sido entregues no último dia 30 de junho, mas testes de balizamento entre os ônibus e as estações motivaram o atraso. "Embora não pareça, essa foi uma obra bastante complexa e que servirá de modelo para os outros corredores a ser implantados na Cidade", justificou Samuel Dias, titular da Secretaria Municipal da Infraestrutura (Seinf).

Apenas os passageiros da linha que liga o terminal do Antônio Bezerra ao Centro poderão usar as estações. Oito ônibus articulados fazem o trajeto em dias úteis, com intervalo previsto de sete minutos. Outras três linhas expressas, que saem do Antônio Bezerra, também usarão o corredor exclusivo, mas sem permitir embarque e desembarque pelos equipamentos.

O POVO.dom acompanhou a visita do prefeito Roberto Cláudio (Pros) a uma das estações do BRT durante a inauguração. Foi observado que há um vão entre o equipamento e o veículo, o que exige atenção dos usuários durante o embarque e o desembarque.

A partir do próximo mês, a linha 222 - Antônio Bezerra/Papicu também pode operar pelo corredor exclusivo. Para isso, a Prefeitura aguarda a chegada de cinco novos ônibus do modelo pesado, que também possui portas de acesso pela esquerda.

Rotas de fuga

Em agosto, o prefeito Roberto Cláudio prevê "ajustes" no tráfego da avenida Bezerra de Menezes e em ruas do entorno. As mudanças, segundo ele, devem dar maior fluidez ao tráfego de veículos particulares na avenida. Alteração de sentido de vias perpendiculares e regulamentação de estacionamento estão entre os serviços previstos. "A ideia é criar espécies de rotas de fuga para que o motorista não fique dependente apenas da avenida principal", esclareceu o prefeito. (Rômulo Costa - romulocosta@opovo.com.br)

 

domingo, 19 de julho de 2015

Em Guarulhos, Corredor de ônibus da EMTU vira estacionamento antes de inauguração

16/07/2015 - G1

Depois de dois adiamentos para a entrega das obras, o trecho do Corredor Metropolitano de Ônibus Guarulhos-São Paulo, entre o terminal Cecap e a Vila Galvão, se transformou em calçada e estacionamento de veículos em frente a alguns pontos de parada.


Foto: Reprodução TV Globo

As obras atrasaram porque, em maio, a Prefeitura de Guarulhos não aprovou o cimento usado na faixa para a passagem dos ônibus alegando que o material usado era de má qualidade. Os trabalhos só foram retomados no dia 22 de junho.

A administração também disse que a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU) não estava cumprindo o projeto original acordado. A EMTU prevê que o corredor fique pronto na segunda quinzena de agosto, segundo informou o SPTV.

O Corredor Metropolitano Guarulhos-São Paulo terá, ao todo, 20 quilômetros de extensão, mas só trecho entre o Terminal Cecap ao Terminal Taboão, perto do Aeroporto do Cumbica, está pronto. As obras de outros dois trechos ainda não começaram. 

Sem a circulação dos ônibus, os pedestres usam a faixa como calçadão para chegar até o terminal Cecap. Na estação Timóteo Penteado, a estrutura está pronta, mas é usada como vagas para estacionamento de veículos.

O reportagem flagrou um guardador de carros, conhecido como "flanelinha", organizando as "vagas". Os motoristas aproveitam o espaço livre e a falta de sinalização sobre a proibição para estacionar.

Informações: G1 São Paulo

Em Uberlândia, Obras dos corredores de ônibus começam em abril

01/03/2011 - Correio de Uberlândia



A Prefeitura de Uberlândia deve iniciar em abril as obras que vão viabilizar a instalação de novos corredores de ônibus. A previsão é de que a licitação seja concluída este mês. Ao todo serão quatro corredores ligando bairros das regiões leste, oeste, norte e sul ao Centro da cidade.

Além dos corredores e drenagem nos bairros, três viadutos serão construídos dentro do pacote de obras, nomeado pela prefeitura de Uberlândia Integrada. De acordo com o prefeito Odelmo Leão, um empréstimo de R$ 100 milhões já foi solicitado ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). "Ainda não tivemos resposta, mas não vamos ficar dependentes desta verba. Temos apoio do Estado e vamos investir recursos próprios", afirmou. A prefeitura já recebeu mais de R$ 50 milhões do Estado e investiu outros R$ 50 milhões em obras viárias realizadas em toda a cidade.

O viaduto da avenida João Naves de Ávila, que já está em andamento, deve ser entregue até o fim de agosto. O corredor João Naves de Ávila será estendido. A intenção é que a via chegue ao novo Campus do Glória, da Universidade Federal de Uberlândia, e ao Entreposto da Zona Franca de Manaus. Ainda no setor leste, será implantado um novo corredor na avenida Segismundo Pereira, ligando bairros como Sucupira, Morumbi, São Francisco, Dom Almir e Prosperidade à região central.

O viaduto da Nicomedes Alves dos santos com a Rondon Pacheco vai possibilitar a implantação do corredor sul. O prefeito afirmou que será necessário desapropriar imóveis no entorno onde será erguido o viaduto. "Ainda não sabemos quantos. Estamos em fase de levantamento. Vamos negociar de forma amigável porque precisamos construir o viaduto", disse Odelmo Leão.

As zonas oeste e norte também vão receber corredores. O corredor oeste será divido em dois eixos: um no Canaã e outro no Luizote, que inclui a construção de um Terminal no bairro Jardim Patrícia. O corredor norte será implantado na avenida Monsenhor Eduardo.

Novo corredor de ônibus no setor leste de Uberlândia já está em construção

16/07/2015 - Portal Uipi

O Prefeito de Uberlândia Gilmar Machado anunciou nesta terça-feira, 14, o início da maior obra viária urbana da cidade, a construção do corredor estrutural (BRT: Transporte Rápido por Ônibus) da avenida Segismundo Pereira e do terminal de ônibus Novo Mundo, na região Leste.



Serão investidos R$ 22,5 milhões e o prazo de entrega está previsto para o primeiro semestre de 2016. As obras já foram iniciadas. O novo corredor de ônibus tem mais de 6 quilômetros de extensão. Ao todo 11 estações serão instaladas e o sistema vai atender prioritariamente os moradores do Santa Mônica, Dom Almir, Morumbi e outros bairros da região.

O estacionamento que já existe para o comércio na Avenida Segismundo Pereira, que é a principal via de ligação entre o Terminal Central e o Terminal Novo Mundo (próximo a Ceasa), será mantido. 

O projeto aponta que a faixa do ônibus será prioritária, em vez de exclusiva. Logo, os veículos de passeio poderão dividir a faixa com os 56 ônibus convencionais e outros 10 articulados.



Além da estações, mais um terminal está sendo construído: o Novo Mundo. Algumas linhas que hoje passam pela avenida sofrerão alterações.

Para suportar o tráfego constante de veículos pesados, a avenida Segismundo Pereira terá o asfalto reforçado, assim como já acontece no BRT da avenida João Naves de Ávila.

O recurso de mais de R$ 22 milhões foi obtido junto ao governo federal. A previsão é que o novo corredor seja finalizado até abril de 2016. Os serviços não haviam iniciado antes por atrasos no projeto.

As obras fazem parte do programa Uberlândia Planejada. Ele contempla um conjunto de infraestrutura e mobilidade urbana com investimentos na ordem de R$ 132 milhões já aprovados. O pacote de financiamento engloba a construção de cinco novos corredores, quatro terminais, 67 estações e três viadutos.

Tecnologia e conforto

Os ônibus do novo corredor funcionarão com sistema de ar-condicionado e parte da frota terá acesso à internet wi-fi. Em agosto deste ano, oito modelos vão circular pelo corredor da avenida João Naves de Ávila. As novas estações receberão o videomonitoramento, que deverá ser expandido posteriormente para o primeiro corredor estrutural.

Informações: Portal Uipi

segunda-feira, 13 de julho de 2015

Emdec estuda três áreas na região central para instalar estação do BRT

13/07/2015 - G1 Campinas e Região

Três locais na região central de Campinas estão sendo analisados pela Secretaria de Transportes para receber a estação de transferência que fará a ligação do Centro com a região do Ouro Verde do sistema BRT - os corredores exclusivos de ônibus que devem mudar o modelo de transporte público na cidade.

A previsão do atual secretário de Transportes, Carlos José Barreiro, é iniciar a obra do BRT até fevereiro de 2016, com prazo de conclusão previsto em 24 meses. Contudo, ao ser apresentado pela primeira vez na Câmara de Vereadores, em abril de 2013, ainda sob a gestão de outro titular na pasta, a expectativa era ter começado as intervenções em fevereiro de 2014.

Opções no Centro

Os técnicos estudam como primeira opção a construção da estação na Av. Campos Salles, no trecho entre as avenidas Senador Saraiva e Francisco Glicério. As outras duas opções são o mini terminal localizado na Av. dos Expedicionários - em frente a Estação Cultura -  e o trecho inicial da Av. Andrade Neves, logo na saída do Túnel Joá Penteado. A idéia é construir um terminal numa dessas três áreas em condições de receber os ônibus articulados e biarticulados, usados pelo sistema.

No projeto inicial, a ligação do Terminal Ouro Verde tinha como destino final o Terminal Central, no Viaduto Miguel Vicente Cury, mas o projeto teve de ser abandonado. "Nós teríamos de derrubar o Terminal e fazer um outro, adequados aos ônibus do BRT e isso elevaria o custo em mais de R$ 100 milhões", explicou Barreiro. "Por isso, partimos para novas opções", acrescentou.

Esta, na verdade,  é a única indefinição que ainda persiste no projeto, já que o corredor Campo Grande terá sua ligação com o Centro no Terminal do Mercado - em frente ao Mercado Municipal, segundo confirmou o secretário. "O terminal instalado ali, será totalmente reformulado. Na verdade, aquilo que tem hoje será derrubado e um novo terminal será construído", adiantou.

Projeto final

Segundo Barreiro, o projeto final deverá estar concluído "nas próximas semanas", quando também saberá o custo exato da obra - considerada a maior intervenção urbanística e de mobilidade dos últimos 20 anos em Campinas.  Por enquanto, o secretário diz saber apenas que vai ficar mais caro que o previsto.

Orçado inicialmente em R$ 340 milhões, o projeto final deverá trazer detalhamentos não previstos no projeto básico, o que provocará aumento no valor final. "Os custos ainda estão sendo dimensionados, mas muito provavelmente vai ficar mais caro que o previsto no projeto básico", admitiu ele.

"Nós teremos de fazer transposições, construir pontes, levantar viadutos e promover outras intervenções importantes nas vias, que não foram previstas no projeto básico", argumentou. "O projeto inicial estimou custo aproximado de R$ 10 milhões por quilômetro, mas acreditamos que esse valor será maior, justamente por conta dessas intervenções", acrescentou.

Edital ainda em julho?

A previsão é que até o final de julho, a secretaria lance num único edital, as regras da licitação para a elaboração do projeto executivo e a execução da obra. Barreiro diz que o edital vai exigir a formação de um consórcio na qual estejam presentes uma empresa especializada em projetos e outra na execução de obras. "Isso é uma ousadia, porque normalmente se faz licitações separadas", lembrou.

A expectativa dele é que em, no máximo 90 dias depois da declaração do consórcio vencedor, possa fazer a contratação da obra, que deverá começar cerca de dois meses depois."Nós estimamos que as obras comecem entre janeiro e fevereiro de 2016 e estejam concluidas 24 meses depois - entre janeiro e fevereiro de 2018", disse ele.

A maior parte dos custos do projeto virão do governo federal. Estão previstos R$ 197 milhões do PAC da Mobilidade e outros R$ 97 milhões do Orçamento Geral da União (OGU). O restante, cerca de R$ 44 milhões, serão desembolso da própria prefeitura. Barreiro disse acreditar que a crise não vai afetar o envio de recursos. Segundo ele a verba federal está garantida e a contrapartida do Município já foi reservada.

Campo Grande

Barreiro antecipou que o projeto será iniciado pelo Corredor Campo Grande. E a explicação é simples. "A Dunlop (Av. John Boyd Dunlop) tem hoje a pior situação de trânsito em Campinas", afirma.  A avenida apresenta volume médio de tráfego diário de 61.280 veículos, muito acima de corredores similares como da Ruy Rodrigues (46.220) e Amoreiras (43.860). . "Nós precisamos dar um jeito nisso", argumenta.

Em volume de tráfego, a Dunlop só perde para a Preste Maia - que registra a passagem diária de 83.100 veículos, mas neste caso há um fator importante: ela recebe o volume direto de duas rodovias – a Santos Dumont e a Anhanguera, o que não acontece com a Dunlop.

Barreiro disse ainda que as obras para construção do Corredor Ouro Verde só serão  iniciadas depois de concluída a construção do Corredor Campo Grande.  Segundo o secretário, a mesma empresa vai construir os dois corredores.

O que é o BRT

O Sistema BRT (sigla em inglês para Bus Rapid Transit) prevê a implantação de dois grandes corredores para tráfego exclusivos de ônibus articulados e biarticulados, numa extensão de aproximadamente 30 Km. Um deles vai ligar o Centro à Região do Ouro Verde e outro à região do Campo Grande.

Além disso, haverá a construção de uma perimetral de 4 Km de extensão, que vai ligar a Vila Aurocan até o Campos Elíseos, seguindo pelo leito desativado do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), numa interligação entre os dois corredores, totalizando 34 Km. A obra é considerada essencial para a cidade já que as regiões do Campo Grande e Ouro Verde concentram 45% da população de Campinas e respondem por mais da metade dos usuários de todo o sistema.

"Essa será uma grande oportunidade para que Campinas possa adotar, definitivamente, o sistema de transporte tronco-alimentado", disse ele. Por esse sistema, os ônibus saem dos bairros e levam o passageiro até as linhas – tronco. O BRT contará com a construção de 33 estações de embarque e desembarque, cinco terminais de integração e 17 obras como pontes, viadutos e passagens de nível.

Pelo projeto apresentado ao Legislativo, os corredores deverão funcionar com quatro linhas diferentes. A primeira delas será a Linha Expressa – que vai ligar o Terminal ao Centro, sem nenhuma parada, em apenas 35 minutos. A segunda será a Semi-Expressa – que terá de quatro a cinco paradas e que levará entre 40 e 45 minutos para cobrir o trajeto do Terminal ao Centro.

Haverá ainda as chamadas Linhas Paradoras – que terão parada em todas as 19 estações previstas ao longo dos corredores e as Linhas Intersetoriais – que farão as ligações entre os corredores e outros pontos da cidade.

Só os ônibus vão trafegar pelos corredores. Não será permitido o trânsito de carros, táxis, peruas do sistema  alternativos ou moto. No corredor haverá possibilidade de ultrapassagens e, por conta disso, o risco de ocorrência de formação de comboios entre os ônibus é nula. As estações de transferência serão fechadas e o embarque e desembarque serão feitos por uma plataforma em nível.

De acordo com o projeto básico, o corredor Ouro Verde do BRT terá 14,4km de extensão com saída numa das três áreas que ainda estão sendo avaliadas pela Secretaria de Transportes. Seguiria depois pela Av. João Jorge, Amoreiras, Ruy Rodriguez, Camucim, até o Terminal Vida Nova.

Já no Corredor Campo Grande serão 17,8 km, a partir do Terminal do Mercadão. Pelo projeto original, ele seguiria pelo leito do antigo VLT, Av. John Boyd Dunlop,  até a chegada ao terminal Itajaí. A estimativa é que os dois corredores transportem juntos cerca de 30 mil passageiros por hora nos períodos de pico.

sexta-feira, 3 de julho de 2015

Nova audiência pública discute desapropriações com impactados do BRT de Palmas

03/07/2015 -  O Jornal - Palmas/TO

Uma nova audiência pública com as famílias impactadas pelas desapropriações do Bus Rapid Transti (BRT) aconteceu na manhã da última quinta-feira, 02. O Encontro foi mediado pelo defensor Arthur Pádua, e, teve a participação do prefeito de Palmas, Carlos Amastha (PSB), que ouviu as demandas e as dúvidas das famílias presentes, e em seguida destacou a importância do Projeto Técnico Social já aprovado pela Caixa Econômica Federal.

Segundo Amastha, todas as ações estão sendo tomadas com bastante transparência, e, que a equipe responsável pelo projeto têm conseguido dialogar através de atendimento individual, com as família impactada. "Todo mundo vai receber o que é justo. Isso é fato. E a Defensoria vai acompanhar tudo. Não será oferecida uma única opção, mas estamos propondo várias, de maneira que atenda a necessidade de cada família", afirmou o prefeito.

Entenda as questões jurídicas

Sobre as questões jurídicas e possíveis impedimentos que dificultem o processo de negociação, o procurador geral do Município Públio Borges apontou a legalidade dos atos, a busca por soluções e a disponibilidade da Prefeitura em negociar de acordo com o proposto e determinado pela legislação.

Borges lembrou da minuta de lei que foi encaminhada para a Câmara Municipal que autoriza a Desafetação para Permuta e Doação como mais uma opção de negociação com os moradores que serão desapropriados. "Entre alguns problemas encontramos a questão de documentação. Algumas famílias não tem a escritura de posse, neste caso já foi acordado com o Estado que ele vai anuir para aqueles que realmente comprovem sua moradia pelo tempo determinado exigido", pontuou o procurador.

Outra questão discutida foi referente às famílias que possuem imóvel financiado no local, débitos pendentes, áreas verdes ou públicas invadidas e o interesse da gestão em resolver. "Não vamos perder o caminho da legalidade. É preciso entender e diferenciar avaliação de mercado e valor venal. Sem dúvida nos preocupamos com o recurso que é público e de todos palmenses", afirmou.

Etapas e planos

O prefeito informou que a partir da próxima semana, a Secretaria Acessibilidade, Mobilidade, Trânsito e Transporte (Smamtt) iniciará os atendimentos, sendo seis famílias por dia. "Será disponibilizado um setor exclusivo para atender cada um e caso não possa ir até a Secretaria, vamos até vocês", ressaltou.

Já o secretário Christian Zini falou do cumprimento das etapas do BRT, lembrou que foi realizado um estudo minucioso das áreas impactadas. Dando ainda mais ênfase as medidas propostas, Zini falou do Plano de Reassentamento e Medidas Compensatórias que propõe a construção coletiva das soluções para o deslocamento e para as perdas ocasionas pela intervenção. "Estas sugestões foram apresentadas pelas famílias durante os atendimentos realizados", informou Zini.

Referente ao Projeto Técnico Social, o secretário explicou que trata-se de um conjunto de ações que visam promover a autonomia e o protagonismo social, planejadas para criar mecanismos capazes de viabilizar a participação dos cidadãos nos processos de decisão, implantação e manutenção dos bens e serviços adequando-os às necessidades e à realidade dos grupos atendidos.

Logo após ouvir as famílias, a próxima etapa é uma nova reunião com a Defensoria Pública afim de apresentar toda a discussão, para então tomar as possíveis medidas cabíveis. A próxima reunião está prevista para o dia 10 de agosto.

O defensor público Arthur Pádua destacou que o interesse da coletividade está sendo defendido, e, ainda alertou que a construção da coletividade atende às necessidades de um transporte seguro e eficiente, assim como de segurança pública também.